09 outubro, 2012

Come little children.


Eu me sentei no chão, estava gelado. Não ouvia nenhum barulho do lado de fora, mas aqui dentro estava perturbador. Coloquei a mão sobre o coração e este estava acelerado. Eu já havia trancado a porta, mas estava inquieta então resolvi conferir. Porta fecha. Idem com as janelas. "Muito bem, não enlouqueça agora, sente-se e comece" pensei comigo mesma. Sentei-me novamente no chão gelado, puxei um papel e comecei a escrever qualquer coisa. Pedaços de musicas, coisas não ditas, pedidos, frustrações. Eis que a dor atinge, e no meu papel não consigo passar, joguei-o para o lado. Agora é a hora em que me perco. Ou não? Já estou perdida a anos, só não havia notado. "Come, little children, I'll take thee away,  into a land of Enchantment, come little children the time's come to Play here in my Garden of Shadows" eu canto em voz alta acompanhando a melodia que me embala e me deixando ser levada pela Covington. "Mas Kate por onde vou?" consigo pensar antes de passar a lamina. "Follow sweet children, I'll show thee the way" ela parecia responder minhas perguntas. Eu não conseguia mais evitar. Um, dois, três, quatro, vinte. Me perdi nos números. Eis que fui perdendo os sentidos. Minha cabeça rodando. "Hush now dear children, It must be this way to weary of life and deceptions rest now my children for soon we'll away into the calm and the quiet" apesar de quase totalmente sem os sentidos escutei Covington pronunciar estas ultimas palavras. "Kate, por favor, tenha piedade e me devolva-a" foi a ultima coisa que pensei, por fim ficou escuro e eu já não sabia o que acontecerá a seguir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário