23 novembro, 2010

Jogar amor para sempre.


O cara me amava, e eu nem o notava.
Eu o enxerguei e ele desapareceu.
Pra sempre.
Gostaria de dizer que essa história só aconteceu comigo, mas sei que estaria mentindo. Isso é
tão comum quanto se apaixonar pelo melhor amigo, quanto querer um beijo do professor de
português, quanto sentir saudade do ex namorado num domingo à tarde.
Acontece.
Você se apaixona por um cara que aparentemente sente o mesmo por você; ele manda flores e você
cria borboletas. Tudo lindo. Até que em um belo dia ele acorda com vontade de nunca mais. Não
te liga. Não te atende. monosilabico. Sim. Não. Depois.
O segredo talvez seja nunca entregar o troféu. Não dizer eu te amo – sempre – primeiro. Deixar
claro que existem outros concorrentes, outras chances de ganhar. Que o jogo ainda não acabou.
Então amar é jogar um jogo? Não.
Fazer durar pra sempre é.

Nenhum comentário:

Postar um comentário